TRE cassa mandato do governador de Rondônia

Reeleito no ano passado, Confúcio Moura (PMDB) é acusado de compra de votos por ter distribuído alimento a eleitores durante campanha.

Governador reeleito de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB),
durante evento de campanha
(VEJA.com/Facebook)
O Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia cassou nesta quinta-feira o mandato do governador Confúcio Moura (PMDB) e do seu vice, Daniel Pereira (PMDB). Por quatro votos a três, os juízes acataram a denúncia feita pela coligação “Frente Muda Rondônia”, do candidato Expedito Júnior (PSDB), que perdeu as eleições para Moura no ano passado – o peemedebista foi reeleito no segundo turno com 53,43% dos votos.

Segundo o TRE-RO, Confúcio responde a um processo por abuso de poder econômico e compra de votos por ter distribuído uma grande quantidade de alimentos para eleitores em um evento de campanha no ano passado. O governador disse, por meio de nota, que aguarda a publicação da decisão para entrar com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“O governador Confúcio Moura e o vice-governador Daniel Pereira tranquilizam a população rondoniense em relação à decisão do Tribunal Regional Eleitoral. O governador e o vice-governador afirmam que respeitam a decisão e que aguardarão a sua publicação para interposição de recurso junto ao TSE. Ao mesmo tempo em que as providências estão sendo tomadas, seguem mantidas a agenda de governo e a continuidade do trabalho e das ações em favor dos rondonienses”, diz a nota.

Oposição – O candidato derrotado Expedito Júnior, cuja coligação foi responsável pela denúncia, também perdeu o mandato por uma condenação por compra de votos proferida pelo Supremo Tribunal Federal, em 2009. A ação se referia às eleições de 2006, quando ele se elegeu senador. Com a condenação, ele foi impedido pela Lei da Filha Limpa de participar das eleições de 2010.

‘DESVIO DE RECURSOS’

Não é primeira investigação contra Moura sobre supostas irregularidades em campanha eleitoral. No ano passado, investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal apontaram desvio de recursos públicos para abastecer a campanha de 2010 de Moura.

Na ocasião, foi deflagrada pela PF a Operação Plateias, que resultou na prisão de quatro suspeitos só em Rondônia. Ao todo, foram cumpridos 193 mandados em nove Estados (RO, GO, SP, RJ, BA, PA, SE, AM e AC), no Distrito Federal e na Espanha.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, há indícios de que o dinheiro desviado no suposto esquema abasteceu a campanha de Moura em 2010.

O governador chegou a prestar depoimento. As investigações estão em curso.

Com informações da VEJA

Deixe uma resposta