Plano da educação será discutido na capital

Sancionado pela presidente Dilma Rousseff em junho de 2014, o novo Plano Nacional de Educação (PNE), é um conjunto de metas criadas para melhorar a qualidade do ensino a todos brasileiros, independente da idade, região onde mora ou situação financeira e que devem ser cumpridas até 2024.
Um dos principais pontos do PNE é a ampliação do financiamento à educação, chegando a 10% do Produto Interno Bruto (PIB).
Entre as prioridades do PNE também consta a oferta de educação em tempo integral, o que requer, inclusive das escolas particulares, um novo olhar sobre seus aspectos pedagógicos, jurídicos e humanizadores, ou seja, mudança e reorganização das mesmas em vários aspectos, como infraestrutura, aumento da jornada de trabalho e formação dos agentes.
O aumento da permanência dentro da sala de aula irá de encontro com o objetivo do PNE, de melhorar a média escolar da educação básica e o nível de aprendizagem. O objetivo é alcançar um novo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), com médias escolares iguais ou acima de 6 nos anos iniciais do ensino fundamental, 5,5 nos anos finais; e 5,2 para o ensino médio.
Para abordar o que propõe o PNE e como as escolas particulares da capital podem contribuir para uma melhora na cultura de aprendizagem em todo o país, o professor de Filosofia e Educação na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), pela qual é mestre, doutor e livre-docente, Cesar Nunes, fará palestra na escola Universidade Infantil Rivanda Berenice (UIRB) voltada aos diretores de instituições privadas da capital.
A palestra, acontece das 10h às 12h do dia 09 de Março. No período da tarde, uma mesa redonda, que será realizada às 15h30 debaterá com os diretores das escolas participantes sobre a reorganização das instituições privadas no que diz respeito aos aspectos pedagógicos (currículos, metas e planejamento) e jurídicos (legislação, contratos e matrículas).
As metas abrangem do ensino básico ao ensino superior, tratam de questões como a ampliação de matrículas, a inclusão de pessoas com deficiência, melhorias na infraestrutura e a valorização dos professores e trabalhadores em educação. 
Idifusora.com

Deixe uma resposta